Litro de Luz: Como tudo começou?

Atualizado: há 17 horas

Tão importante quanto conhecermos o trabalho do Litro de Luz e como a atuação dos voluntários impacta comunidades Brasil afora, é conhecer como tudo começou.


Redação do Litro



O surgimento do Litro de Luz foi inspirado em uma criação de Alfredo Moser, mecânico brasileiro que em 2002, em meio aos apagões que ocorriam em todo país, teve a brilhante ideia de “criar” luz de uma forma simples.


Moser misturou água e alvejante dentro de uma garrafa PET e pendurou no telhado para que, a partir da incidência da luz solar, a casa ficasse iluminada durante o dia. O alvejante é colocado junto da água para evitar o crescimento de algas, e a solução equivale a uma lâmpada incandescente de 60 Watts.


Essa solução facilitou a vida de Alfredo Moser nos períodos em que faltava luz em sua casa, além de permitir a continuidade de seu trabalho em sua oficina mecânica. Até hoje a invenção é conhecida como Lâmpada de Moser.


Em 2011, nas Filipinas, um tsunami devastou parte do país e deixou muitas famílias sem acesso à energia elétrica por vários dias. Nesse período, Illac Diaz (um filipino com descendência italiana que fundou o MyShelter Foundation, organização internacional que reutiliza garrafas plásticas para projetos sociais como construção de casas) viu na Lâmpada de Moser, uma saída para ajudar famílias que não tinham acesso à eletricidade ao mesmo tempo em que reaproveitava garrafas PETs, fundando então o “Liter of Light”, que passou a ser parte do MyShelter Foundation.


Já no Brasil, tudo começou em dezembro de 2012, quando dois brasileiros de Santa Catarina chamados Alanna Sousa e Pedro Santos, com o aval do fundador do Liter of Light, Illac Diaz e do embaixador e fundador do Litro de Luz na Colômbia, Camilo Herrera, decidiram implementar o projeto do Litro de Luz no Brasil.


Em 2013, Vitor Belota, coincidentemente vizinho de Alanna, teve o mesmo ímpeto de trazer o Litro para o Brasil, depois de conhecer o projeto no Quênia. O trio se conheceu e se deu um projeto piloto, onde foram instaladas as primeiras soluções diurnas em duas comunidades de Balneário de Camboriú, em Santa Catarina, em uma parceria com a ESAG - UDESC (Escola Superior de Administração e Gerência da Universidade Estadual de Santa Catarina).


Primeira equipe fixa do Litro de Luz, com alunos do curso de Administração da ESAG-UDESC de Balneário de Camboriú. Dos fundadores, apenas o Pedro não está presente nessa foto.


No ano de 2014, o Litro de Luz passou a contar com o patrocínio da Sika, multinacional de produtos químicos para construção civil e indústria, primeiro parceiro comercial do Litro, vindo a se tornar depois o primeiro parceiro institucional da organização. Essa parceria viabilizou uma ação de instalação de soluções diurnas na comunidade Frei Damião, localizada na Grande Florianópolis, também em Santa Catarina.


No mesmo ano, visando aumentar o alcance do projeto e possibilitar a inscrição do Litro no edital do PAP (Programa de Apoio a Projetos) promovida pela ACIF (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis), o Litro de Luz foi “fundado” oficialmente como Associação com CNPJ próprio e com Alanna Sousa, Pedro Santos e Vitor Belota como co-fundadores.


Alanna Sousa hoje é ativista e profissional do ramo audiovisual com vasta experiência em impacto social dentro e fora do país, tendo sido também, representante do Litro de Luz nos Estados Unidos entre 2016 e 2017. Pedro Santos é doutorando em Energia Eólica e reside na Alemanha. Já Vitor Belota faz parte do conselho consultivo do Litro de Luz e atua no ramo de impacto social.


Da esquerda para a direita: Vitor Belota, Alanna Sousa e Pedro Santos, fundadores do Litro de Luz no Brasil.

Continue conhecendo o Litro na parte II :)